Tecnologias na medicina: os principais avanços da década

Pandemia também abriu portas para a inteligência artificial e outras tecnologias digitais resolverem problemas complexos

               
160
tecnologias na medicina

Não é novidade para ninguém que as tecnologias na medicina tiveram muitos avanços na última década. Além disso, desde o início de 2020, a Covid-19 agiu como uma aceleradora da inovação digital na área. 

De acordo com o relatório “Perspectivas globais para o setor de saúde 2021”, da multinacional de consultoria empresarial Deloitte, a pandemia abriu portas para a inteligência artificial e outras tecnologias digitais resolverem problemas complexos, sejam eles clínicos ou não clínicos.

Organizações de saúde de todo o mundo estão fazendo a transição para sistemas de TI movidos por computação em nuvem e ferramentas de dados. Segundo o relatório, gastos com nuvem aumentaram 11% no segundo trimestre de 2020 na comparação com o mesmo período do ano anterior. A nuvem permite atendimento remoto e trabalho remoto na área. Além disso, possibilita a produção de uma área de trabalho virtual escalonável. 

Entretanto, apesar de os avanços das tecnologias na medicina na última década também incluírem a telemedicina e a eliminação de fronteiras pelo fácil acesso a dados armazenados em nuvem, as mudanças são muito mais profundas. Alguns especialistas até mesmo defendem que a tecnologia se tornou a principal aliada dos médicos para diagnósticos e tratamentos.

Principais Avanços das Tecnologias na Medicina

Citamos abaixo os principais avanços das tecnologias na medicina:

Telemedicina

tecnologias na medicina, telemedicina

É um processo bem avançado para monitorar os pacientes, analisar resultados de exames diferentes e trocar informações médicas. Isso pode ser feito a qualquer hora e em qualquer lugar. Se aplica a teleconsultas, exames de rotina, situações de urgência, entre diversos outros contextos. 

Os exames são avaliados e digitalizados, dentro da legislação e das normas médicas. Com a telemedicina dentro das tecnologias da medicina, os profissionais da saúde podem decidir de forma mais ágil e precisa. A telemedicina contribui para prevenir, diagnosticar, monitorar e tratar doenças, lesões e outras situações. Tudo podendo ser realizado a distância.

Prontuário Eletrônico 

É um documento que reúne informações variadas referentes à saúde do paciente, tais como cadastro, estado de saúde, exames, resultados, relatórios de internação e medicamentos, entre outros. Com o prontuário eletrônico, a equipe médica consegue fazer um atendimento com muito mais qualidade. Através de um clique na tela do computador ou um toque na tela do celular, os profissionais têm acesso a todo o histórico do paciente. Tudo isso de forma rápida e automatizada.

Robótica

Os avanços na medicina são tantos que já é muito comum a utilização de robôs e instrumentos robóticos para procedimentos cirúrgicos delicados e arriscados. O número de brasileiros operados pelos médicos com o auxílio de robôs está crescendo cada vez mais. Aliada a processos e diagnósticos, a tecnologia otimiza resultados em todas as áreas. Além disso, pode tanto ser implementada para resolver problemas simples, como monitorar sinais vitais.

Bioimpressão 3D

Assim como uma impressora 3D consegue imprimir objetos em formato tridimensional, uma bioimpressora 3D consegue criar órgãos idênticos aos humanos. Elas usam biotinta, que é um hidrogel feito com material biologicamente compatível, além de células do tipo de tecido do órgão que será produzido. 

A tecnologia de bioimpressão 3D já avançou muito na última década, mas ainda tem muito a evoluir. De acordo com cientistas, há um longo caminho a percorrer antes que os órgãos criados em laboratório possam ser amplamente utilizados para transplantes humanos ao redor do mundo.

Inteligência Artificial

tecnologias na medicina

Essa tendência está sendo cada vez mais aplicada na medicina. A inteligência artificial pode fazer varredura de dados coletados num exame com velocidade 150 vezes mais rápida que o homem. Isso pode gerar muita economia na área da saúde. 

Dessa forma, um exame que demora em torno de meia hora para ser realizado, como uma tomografia, por exemplo, com a inteligência artificial poderá ser realizada em menos de dez minutos. Especialmente se o sistema descobrir o problema do paciente logo nas primeiras imagens fornecidas. 

Assim, é muito natural que os hospitais e profissionais da saúde queiram agilizar os tratamentos. Da mesma forma, os próprios pacientes também terão benefícios, como pagar um menor custo. 

Especialistas consideram alguns avanços de inteligência artificial como marcos na medicina. Exemplos disso são os gêmeos digitais, que são simulações virtuais de produtos e serviços, criados de forma integrada com sensores em um item físico. Os sensores coletam as movimentações e respostas do item e as projetam em um ambiente virtual, criando uma cópia virtual. Essa cópia pode operar prevendo desempenhos, criando hipóteses, detectando falhas, tudo isso de forma incrivelmente veloz.

Digitalização

Uma das grandes tendências do uso de tecnologias na medicina é a digitalização de processos. Isso inclui prescrições eletrônicas, sistemas de gestão médica, prontuários eletrônicos, programas para farmácias, entre outros. 

Unificação de dados

Não é nada prático e nem útil para um paciente,que as informações referentes a ele sejam guardadas em mais de um local, principalmente se esses lugares forem distantes um do outro. Por exemplo: determinados dados de um paciente são guardados no laboratório no qual ele fez um exame, enquanto outros estão na clínica de radiologia, e os demais em um hospital. O ideal é que todos esses dados ficassem unificados para que mais de um médico tivesse acesso. 

Assim, há possibilidade de todo e qualquer profissional da saúde fazer estudos mais aprofundados e a dar diagnósticos ainda mais completos para os respectivos pacientes. Hoje em dia, isso já é perfeitamente possível. Um exemplo é o uso de uma ferramenta chamada blockchain. Claro que ela mantém a privacidade e o sigilo das informações, não somente pela questão ética, mas também para cumprir a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

Data Analytics

O uso de dados já está bastante disseminado na área da saúde, devendo ser cada vez mais utilizado. Eles fazem escores de risco, pré-diagnósticos, probabilidades variadas, como a ocorrência de sintomas, análise preditiva de doenças, entre diversos outros benefícios. Em união com os profissionais de Tecnologia de Informática, que já dominam os programas e sistema, e os médicos, que conhecem as doenças, riscos e resultados, os recursos de Data Analytics são utilizados com produtividade e eficácia máximas. 

Realidade virtual e realidade aumentada

tecnologias na medicina

A realidade virtual e aumentada possui recursos que colaboram para a área médica. Um uso muito comum para isso na área da saúde é para ensinar os estudantes de medicina. Assim, podem treinar sem medo a execução de procedimentos extremamente delicados, como cirurgias cardíacas ou de medula. O treino com realidade virtual pode diminuir as chances de erros médicos na prática. 

Avanços e tendências

A evolução das tecnologias na medicina vai muito além das questões citadas anteriormente. Muitos avanços seguem passando por melhoramento e crescimento, e representam também tendências para os próximos anos. 

Além das tecnologias citadas neste texto, algumas outras também devem ser cada vez mais utilizadas. Exemplos: a medicina genômica, os gêmeos digitais, os dispositivos wearables, a internet das coisas e os hospitais inteligentes.

Conteúdos sobre tecnologia e inovação no Futuro da Saúde

Por fim, gostou deste artigo? Aqui no site do Futuro da Saúde, você encontra mais conteúdos gratuitos sobre inovação e os rumos da saúde no Brasil e no mundo. Nos acompanhe também no Instagram e Youtube e confira o Instagram da nossa diretora, a jornalista Natalia Cuminale.

Temos ainda um podcast. Veja abaixo o episódio com o médico Claudio Lottenberg, presidente do Conselho do Hospital Albert Einstein e do Instituto Coalizão Saúde. Ele explica que inovação não necessariamente tem a ver com a compra de equipamentos e a adoção de novas tecnologias. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui