Responsabilidade com as informações

Um lembrete sobre a importância de refletir sobre os dados

95

Eu fico pensando o que exatamente passa na cabeça de algumas pessoas que escrevem e postam categoricamente que uma ação funciona ou não funciona — quando ninguém no mundo tem essa resposta definitiva. A pauta aqui é isolamento social e responsabilidade com informações.

Começou a circular aqui no Brasil ontem à noite o vídeo de uma coletiva do governador em Nova York, Andrew Cuomo, realizada na quarta-feira. No vídeo, ele apresenta um estudo realizado com mais de 1.000 pacientes de 113 hospitais realizado durante três dias. Segundo os resultados da pesquisa, 66% dos hospitalizados pela covid-19 estavam em casa — e não trabalhando fora, usando transporte público ou viajando.

Pronto. Isso foi argumento suficiente para que as pessoas contrárias ao isolamento começassem a postar que ficar em casa não adianta nada. Que somos todos tolos de seguir esse padrão. Que o vírus passa como uma avalanche por todos nós, estando em casa ou não. Tudo isso pode até ser verdade. Mas será que é simples assim?

Em primeiro lugar, esse número de 66% significa o que exatamente? Que as pessoas respeitaram 100% o isolamento e do nada o vírus entrou pela janela? Ou será que elas fizeram um isolamento mais ou menos e voltaram para casa e, na pesquisa, disseram que estavam em casa? Ou ainda que, quando saíram, não usaram máscaras, não se protegeram, não higienizaram as mãos?

Em segundo lugar, ninguém disse que o isolamento vai fazer o vírus desaparecer do planeta. Sempre ficou muito claro desde o início que o isolamento e o lockdown servem justamente para evitar o colapso do sistema. De novo, é matemática. Mais pessoas doentes, mais gente procurando ajuda, mais gente precisando de hospital, mais gente precisando de respirador e… não tem sistema que consiga dar assistência para todo mundo.

Vamos supor que, em vez dos 66% de Nova York que declararam estar em casa, todos estivessem na rua. Será que a situação não estaria muito pior, com muito mais mortos? Por fim, em terceiro lugar, é preciso tomar cuidado com opiniões que são manipuladas com o objetivo de provar um ponto. A gente sabe que os números podem ser interpretados, dependendo da intenção do interlocutor. Então, só quis escrever isso aqui para lembrar vocês que é importante ter cuidado. A situação do coronavírus é nova para o mundo inteiro. Eu duvidaria de qualquer pessoa com respostas muito assertivas sobre o tema.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui