Segunda onda pode ser aumento de diagnóstico de câncer

As pessoas não devem abandonar o cuidado com a saúde. Hospitais e laboratórios estão aptos para receber os pacientes com total segurança

               
704

As medidas de enfrentamento da covid-19 podem gerar um impacto negativo sobre os diagnósticos e o tratamento do câncer. Dados levantados nos países mais afetados pela pandemia, inclusive aqui no Brasil, já demonstram que o número de casos e – infelizmente – de mortes deve aumentar neste ano.

No Reino Unido, um estudo publicado no British Medical Journal avaliou um banco de dados de 3,8 milhões de ingleses com diagnóstico de câncer e comparou os números de óbitos pela doença entre 2019 e 2020. Segundo as estimativas, neste ano a mortalidade poderá ser de 20% a 60% maior, por causa da COVID-19.

Já nos Estados Unidos, pesquisas apontam que, em 3 meses, 88 mil americamos deixaram de ser diagnosticados com câncer de pulmão, intestino, mama, colo de útero e próstata, simplesmente porque os indivíduos supostamente saudáveis não foram fazer seus exames convencionais de rastreamento destas doenças.

A situação, por aqui, não é diferente.  Em maio, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica e a Sociedade Brasileira de Patologia informaram que de 50 a 90 mil brasileiros podem ter deixado de receber a confirmação do diagnóstico de câncer nos dois primeiros meses de pandemia.

Além do receio de sair de casa por conta de uma possível contaminação, muitas pessoas geralmente fazem seus exames de check-up nos primeiros meses do ano, o que não foi possível agora em 2020. Então, teoricamente, estas mesmas pessoas vão ficar dois anos sem fazer seus exames de acompanhamento, com resultados que poderiam indicar procedimentos mais simples para problemas que podem se agravar. Não falo apenas do rastreamento do câncer, mas do monitoramento das taxas de colesterol, por exemplo.

Por isso, temos recomendado que as pessoas tomem todas as precauções necessárias para que façam seus exames, sua mamografia periódica, sua visita ao médico, mesmo com as indicações de isolamento social. Com todos os cuidados de higiene no deslocamento, com o distanciamento, com o uso de máscara, os benefícios para a Saúde são garantidos. Os hospitais e laboratórios estão aptos para receber os pacientes com total segurança.

Uma mensagem importante é que os pacientes que estejam tratando um câncer neste momento não deixem de conversar com seus médicos para encotrar o melhor caminho para seguir com as taxas de controle altas, mas ao mesmo tempo mantendo um olhar para o coronavírus.

Não tome decisões por conta própria, não mude nem abandone o tratamento. O câncer continua sendo uma doença que merece todo cuidado. O coronavírus, por ser uma novidade, ainda causa muitas dúvidas. Não podemos deixar que estas questões atrapalhem a relação fundamental de confiança entre médico e paciente na busca pelo tratamento mais seguro, com e menor risco para infecção e complicação pela covid-19.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui