Quem vai tomar vacina? A guerra política que confunde as pessoas

A desinformação só atrapalha nesse momento em que todos deveriam estar unidos em busca de uma solução. Temos várias vacinas em estudo e não importa se a primeira aprovada será chinesa, inglesa ou americana

72

É impressionante como o tema vacina tomou um rumo confuso e bagunçado nos últimos dias. Assim que o coronavírus começou a fazer vítimas pelo mundo, o grande sonho era a chegada de uma vacina. Agora, graças à política, até isso começou a ficar incerto na cabeça das pessoas. Primeiro, há um viés preconceituoso contra a vacina da Sinovac, a tal vacina chinesa. ⁣

Quem não acompanha de perto e está mais exposto à fake news, acaba indo por um caminho de acreditar que o vírus foi fabricado, que a vacina é para controle populacional e outros absurdos do tipo. E aí entram os políticos que, em vez de educar, brigam por protagonismo e levam à desinformação. ⁣

Não ajudou muito o governador de São Paulo João Doria declarar que a vacina seria obrigatória. As pessoas querem tomar a vacina, as pessoas têm consciência sobre a importância da imunização e ninguém mais aguenta ficar com medo do vírus. Agora, foi precipitado falar de uma vacina que sequer foi aprovada vai ser obrigatória. E essa é uma análise apenas do viés político. Do viés científico, a vacina está sendo estudada por pesquisadores sérios, com milhares de voluntários e tem a parceria do Instituto Butantan, um centro de pesquisa centenário, responsável por diversas vacinas que já tomamos no nosso dia a dia. ⁣

Para piorar a confusão, o presidente da República decidiu encampar a guerra, que é mais política do que ideológica, contra a tal da vacina chinesa. A desinformação só atrapalha nesse momento em que todos deveriam estar unidos em busca de uma solução. Temos várias vacinas em estudo e não importa se a primeira aprovada será chinesa, inglesa ou americana. ⁣

O mais importante é que elas sigam todo o processo científico, tenham a segurança e a eficácia provadas e sejam autorizadas pelos órgãos reguladores. Essa guerra política não tem nada a ver com a ciência. Vacinas salvaram vidas e continuam salvando. Tomara que essas candidatas sejam capazes de ajudar a mudar o curso da nossa história. E aí? Quem vai tomar a vacina?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui