Prontuário eletrônico no SUS: pacientes poderão acessar exames e receitas médicas online

Prontuário eletrônico no SUS: pacientes poderão acessar exames e receitas médicas online

Acordo de cooperação técnica prevê a implantação do aplicativo AGHU como ferramenta de prontuário eletrônico no SUS disponível aos pacientes

By Published On: 14/07/2023
AGHU: prontuário eletrônico no SUS. Foto: Julia Prado/MS

Foto: Julia Prado/MS

A adoção de prontuário eletrônico no SUS é um passo desafiador, mas com potencial de simplificar a troca de informações e facilitar a interoperabilidade e gestão de dados – e quanto mais dados, maior a chance de aumentar o uso eficiente de recursos e até mesmo de ajudar na elaboração de políticas públicas. Foi com este objetivo que Ministério da Saúde, Ministério da Educação e Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) – além do Conass e Conasems – firmaram na quinta-feira, 13, um acordo de cooperação técnica para implantar o Aplicativo de Gestão para Hospitais Universitários (AGHU) em instituições da rede pública.

O ato de assinatura contou com as presenças dos chefes das pastas de educação e saúde, Camilo Santana e Nísia Trindade, além de Arthur Chioro, que preside a Ebserh – estatal vinculada ao MEC que administra 41 hospitais universitários federais. 

O AGHU é uma plataforma de gestão hospitalar composta por módulos que abrangem internação, registros de atendimento ambulatorial, estoque com rastreabilidade, exames, cirurgias, prontuário eletrônico e outros. Com a ferramenta, um paciente atendido em um hospital que utiliza o sistema terá seus dados disponíveis para qualquer outra unidade do país que também utilize o AGHU. Os benefícios do AGHU serão disponibilizados de forma gratuita e progressiva para as instituições vinculadas ao Ministério da Saúde, ao Conass e ao Conasems.

Em nota, Arthur Chioro afirmou que “estamos falando de maior eficiência do gasto público, em que a economia gerada pode ser reaplicada na melhoria do atendimento de saúde para a população. Outro ponto importante é que o AGHU permite controle detalhado de estoque dos hospitais. O gestor pode saber a quantidade necessária, identificar carência de produtos e insumos, e assim ir controlando medicamentos de alto custo até a beira do leito, com diversos níveis de monitoramento passíveis de serem desenvolvidos e aplicados”.

Já a ministra Nísia Trindade ressaltou o compromisso de tornar a saúde digital uma ferramenta efetiva para o Sistema Único de Saúde. Ela também destacou que a parceria entre os ministérios permitirá a integração entre a atenção primária e a atenção especializada, garantindo que os usuários tenham seus direitos respeitados. Camilo Santana afirmou que, após a assinatura desse acordo, o próximo passo será integrar as ferramentas das clínicas e hospitais de menor porte para que o SUS se torne totalmente interligado.

Prontuário eletrônico no SUS
Foto: Julia Prado/MS

Redação

Equipe de jornalistas da redação do Futuro da Saúde.

About the Author: Redação

Equipe de jornalistas da redação do Futuro da Saúde.

Leave A Comment

Recebar nossa Newsletter

NATALIA CUMINALE

Sou apaixonada por saúde e por todo o universo que cerca esse tema -- as histórias de pacientes, as descobertas científicas, os desafios para que o acesso à saúde seja possível e sustentável. Ao longo da minha carreira, me especializei em transformar a informação científica em algo acessível para todos. Busco tendências todos os dias -- em cursos internacionais, conversas com especialistas e na vida cotidiana. No Futuro da Saúde, trazemos essas análises e informações aqui no site, na newsletter, com uma curadoria semanal, no podcast, nas nossas redes sociais e com conteúdos no YouTube.

Artigos Relacionados

Redação

Equipe de jornalistas da redação do Futuro da Saúde.