Perna protética utiliza inteligência artificial para andar sozinha

Tecnologias similares já existem, mas exigem que os comandos motores sejam realizados pelo celular ou joysticks, o que impede o equipamento de ser prático e intuitivo como o desejado. A ideia é que as próteses funcionem como carros autônomos

               
216

Uma nova tecnologia combina inteligência artificial e câmeras para criar próteses e esqueletos aprimorados. Os pesquisadores da Universidade de Waterloo, no Canadá, são responsáveis pelo projeto e acreditam que podem treinar o novo equipamento para pensar e tomar decisões de controle motor utilizando a tecnologia ExoNet.

A perna mecânica é capaz de pensar e se mover por conta própria, usando tecnologia de inteligência artificial. | Imagem: Universidade de Waterloo, no Canadá.

Essa possibilidade é possível graças às câmeras instaladas na prótese, já que ela detecta as pessoas andando ao redor e transmite essas imagens para o sistema de inteligência artificial, que imita esse comportamento. A ideia é que esse mecanismo funcione menos como o pensamento humano e mais como sistemas de carros autônomos para que as pernas protéticas andem sozinhas.

Tecnologias similares já existem, mas exigem que os comandos motores sejam realizados pelo celular ou joysticks, o que impede o equipamento de ser prático e intuitivo como o desejado. Além de ser inconveniente e dificultoso para o sistema cognitivo, segundo os pesquisadores.

Atualmente, a inteligência artificial está sendo otimizada para compreender obstáculos no caminho e o ambiente ao redor, subir escadas e entre outras atividades.

Os responsáveis pelo projeto estão em busca de uma forma de melhorar o armazenamento de energia, como recarregar as baterias dos motores da prótese por meio do movimento humano. O testes de desempenho foram feitos em adultos saudáveis, mas em breve devem ser feitos em idosos e pacientes em reabilitação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui