Home Colunista Perca o fôlego pelo que vale a pena: vencendo o câncer de...

Perca o fôlego pelo que vale a pena: vencendo o câncer de pulmão

Para o triênio de 2020-2022, o INCA estima mais de 30 mil novos casos anuais de câncer de pulmão. A campanha “Perca o fôlego pelo que vale a pena – Vamos vencer o Câncer de pulmão” reforça os motivos pelos quais vale perder o fôlego.

               
460
O câncer de pulmão está entre os cânceres mais mortais no Brasil. Para o triênio de 2020-2022, o INCA estima mais de 30 mil novos casos anuais. A campanha “Perca o fôlego pelo que vale a pena – Vamos vencer o Câncer de pulmão” reforça os motivos pelos quais vale perder o fôlego.

Cerca de 13% de todos os casos novos de câncer no mundo são de pulmão. É o tipo de neoplasia maligna mais comum quando juntamos homens e mulheres. Para o triênio 2020 – 2022, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima 30.200 novos registros anuais da doença no país.

Trata-se da primeira causa de mortalidade por câncer no Brasil. Em 2019, foram mais de 29 mil óbitos (Atlas de Mortalidade por Câncer – SIM). Tumor grave, com implicações muito ruins em pouco tempo, possui uma sobrevida média, em cinco anos, de 20%.

Os sintomas do câncer de pulmão geralmente não aparecem até que a doença se espalhe para outras partes do corpo. São sinais como falta de ar, tosse persistente, dor no tórax ao respirar, perda de peso. Por isso, a atenção aos fatores de risco é muito importante. Esta é uma doença relacionada, na grande maioria dos casos, a questões ambientais, principalmente o tabagismo.

Este é o sinal de alerta que o Instituto Vencer o Câncer pretende dar com o lançamento da campanha “Perca o fôlego pelo que vale a pena – Vamos vencer o Câncer de pulmão”. O filme, desenvolvido em parceria com a agência Ogilvy Brasil, reforça os motivos pelos quais vale perder o fôlego.

Algumas das principais ferramentas para salvar vidas, como a conversa com o médico sobre sinais da doença e o check-up periódico, para homens e mulheres a partir dos 50 anos, com histórico de tabagismo de pelo menos 20 anos (com o consumo mínimo de um maço por dia), com ou sem fator de risco adicional.

Precisamos colocar o câncer de pulmão em evidência, por conta do número de casos elevados e pelas novidades no tratamento, que melhoram a sobrevida e qualidade de vida dos pacientes. O Brasil avançou em muitos fatores do combate ao tabagismo, mas ainda há espaço para mais estratégias que diminuam o risco dos males causados pelo cigarro.

Esta não é uma tarefa fácil. Requer um trabalho multidisciplinar, que possa fornecer apoio psicológico e médico para o número grande de fumantes no país. O importante é manter o progresso das medidas protetivas, deixar os mais jovens longe dos derivados de tabaco e diminuir a incidência de uma doença grave.

Perca o fôlego pelo que vale a pena! Precisamos cuidar da saúde para continuarmos a viver os bons momentos no ano novo. Boas Festas e feliz 2022!

A campanha “Perca o fôlego pelo que vale a pena – Vamos vencer o Câncer de pulmão” reforça os motivos pelos quais vale perder o fôlego.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui