Open Health e os desafios da interoperabilidade de dados

Open Health e os desafios da interoperabilidade de dados

Novo episódio do Futuro Explica apresenta o conceito de Open Health e como a interoperabilidade de dados pode transformar a saúde

By Published On: 08/07/2024
Open Health e os desafios da interoperabilidade de dados – Futuro Explica

Foto: Pexels

Assim como ocorreu nas finanças com a implementação do Open Finance, na saúde o Open Health tem potencial de fazer uma revolução. A ideia é permitir o compartilhamento de informações entre os diversos sistemas, melhorando diagnósticos, reduzindo custos e promovendo um atendimento mais personalizado. Já há tecnologia para isso, mas a interoperabilidade de dados esbarra em diversos desafios para sua efetiva implementação. Este é o tema do mais recente episódio de Futuro Explica.

O sistema integrado de finanças começou a ser implementado no Brasil em 2021. A iniciativa permite que informações sobre clientes, produtos e serviços fluam no sistema financeiro de forma padronizada. As informações transitam entre as instituições autorizadas pelo Banco Central. Tudo isso é feito de forma 100% digital e com o respaldo da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). É mais ou menos nesse mesmo caminho que entra o Open Health.

Na prática, funciona da seguinte maneira: por exemplo, você precisa procurar um atendimento de emergência em um hospital por conta de uma indisposição. Ao puxar sua ficha, o médico já tem acesso a todas as suas informações: as vacinas que tomou, os exames que fez, há quanto tempo faz tratamento para doenças crônicas (e quais são elas). Através da tecnologia, o objetivo principal é otimizar e melhorar o cuidado em saúde, tornando o setor mais sustentável.

No Brasil, iniciativas como a Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS) buscam criar uma plataforma nacional para esse fim. Da mesma forma, a iniciativa privada tem buscado formas de padronizar as informações para conseguir compartilhá-las. Mas há muitos desafios pela frente. O Brasil, além de ter dimensões continentais, é também muito fragmentado quando o assunto envolve os sistemas de saúde. Outro ponto sempre citado pelos especialistas é a falta de padronização dos dados e informações, o que dificulta a conversa entre os sistemas. Isso sem falar da sensibilidade dos dados e da necessidade de investimento em infraestrutura pensando no SUS.

Apesar das dificuldades, não há dúvidas que a interoperabilidade e um futuro conceito de Open Health pode representar um avanço promissor para a saúde pública.

Confira o episódio completo agora!

Redação

Equipe de jornalistas da redação do Futuro da Saúde.

About the Author: Redação

Equipe de jornalistas da redação do Futuro da Saúde.

Leave A Comment

Recebar nossa Newsletter

NATALIA CUMINALE

Sou apaixonada por saúde e por todo o universo que cerca esse tema -- as histórias de pacientes, as descobertas científicas, os desafios para que o acesso à saúde seja possível e sustentável. Ao longo da minha carreira, me especializei em transformar a informação científica em algo acessível para todos. Busco tendências todos os dias -- em cursos internacionais, conversas com especialistas e na vida cotidiana. No Futuro da Saúde, trazemos essas análises e informações aqui no site, na newsletter, com uma curadoria semanal, no podcast, nas nossas redes sociais e com conteúdos no YouTube.

Artigos Relacionados

Redação

Equipe de jornalistas da redação do Futuro da Saúde.