O inverno e a Covid-19: o tempo frio tem alguma influência na infecção?

Estudo indica que relaxamento no uso de máscaras e distanciamento social antes do inverno podem influenciar novos casos de Covid-19 mais do que as condições climáticas.

               
188

Desde o início da pandemia de coronavírus, os cientistas debatem se a estação do ano pode ou não influenciar na disseminação e no aumento de casos. Sabe-se que diversos vírus causam mais problemas em determinados períodos, como é o caso da influenza no inverno, por exemplo. Mas esse não parece ser o caso do novo coronavírus por enquanto.

Uma simulação indica que, atualmente, o relaxamento nos cuidados contra a Covid-19 influencia mais casos da doença do que os períodos de inverno. A análise foi publicada recentemente na revista Nature Communications. Realizado na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, o estudo tinha como objetivo descobrir se o novo coronavírus poderia se tornar uma doença sazonal como as outras dessa categoria. 

Entretanto, com a chegada das vacinas e, consequentemente, maior controle sob o Covid-19, o estudo sugere que, no futuro, o fator climático pode influenciar mais do que os cuidados preventivos. 

Como foi o estudo

Para obter mais detalhes na análise, os pesquisadores simularam como seria um surto de Covid-19 em Nova York durante o inverno com o HKU1, um betacoronavírus. Resultados de um estudo anterior e dados de casos de coronavírus e outros patógenos – tanto no mundo como nos Estados Unidos -, foram utilizados com um modelo epidemiológico para prever de que forma o tempo frio atuaria sob o SARS-CoV-2 em diferentes cenários. 

Em infecções causadas pelos vírus varicela (catapora), influenza (gripe) e vírus sincicial respiratório (RSV), o clima se mostrou como o fator de maior influência. Seguido da aglomeração da população, como em escolas. 

Já no caso do novo coronavírus, a conclusão é de que, atualmente, o inverno não ajuda, mas é apresentado como fator secundário. “Em todos os casos, se as chances de infecção forem altas e as medidas forem reduzidas, grandes surtos ocorrerão – independentemente das condições climáticas.” dizem os cientistas.

Além disso, de acordo com o estudo, se nos meses que antecedem o inverno, o vírus está apenas estagnado, ao invés dos números de casos estarem diminuindo, significa que as condições climáticas irão intensificar as infecções nos dias de inverno.

Segundo a líder do estudo e pesquisadora associada, Dra. Rachel Baker “os resultados implicaram que medidas de controle frouxas – e o provável descaso com o cumprimento das medidas de controle – alimentariam surtos de inverno.”

Apesar dos diversos climas que o Brasil apresenta, se as recomendações forem seguidas, um possível surto de Covid-19 poderia ser minimizado. De acordo com a Dra. Rachel Baker “Ter medidas de controle eficazes em vigor no verão passado poderia ter limitado os surtos de inverno que estamos experimentando”, diz ela a respeito da situação atual nos Estados Unidos, que passa pelo inverno todo início do ano, por estar no hemisfério norte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui