Home Colunista Mais uma evidência a favor do chocolate: faz bem ao raciocínio

Mais uma evidência a favor do chocolate: faz bem ao raciocínio

Um recente estudo realizado por universidades da Austrália, Estados Unidos e Luxemburgo, avaliou o impacto do consumo de chocolate na população da cidade americana de Syracusa no estado do Maine. Os resultados: chocolate pode melhorar o desempenho cognitivo das pessoas.

               
279

A história do chocolate nos mostra que inicialmente o extrato retirado da semente do cacau na América central era transformado em um líquido amargo e de tão nobre era servido apenas aos reis e sacerdotes do antigo povo asteca.

Desde sua descoberta pelos espanhóis, durante a conquista do novo continente americano, os europeus se encantaram com a bebida nobre e assim o chocolate passou também a ser servido nas reuniões da alta corte e burguesia europeia.

Na Europa, desde a sua introdução por Hernan Cortez em 1526, o chocolate foi sofrendo modificações, ao longo de cerca de 3 séculos. Foi transformado em barras para conquistar o paladar de toda a humanidade.

Desde a época de sua descoberta, como bebida nobre, quase sagrada para os astecas, o chocolate tem a fama de ter várias propriedades benéficas para o ser humano.

O próprio Cortez em sua carta ao rei da Espanha citava as suas propriedades alimentares e energéticas, atribuindo a uma dose do líquido a propriedade de prover energia para um soldado por um dia todo. Além das propriedades energéticas e nutricionais, atribui-se ainda ao chocolate propriedades como a de diminuir o estresse e a depressão — nem todas confirmadas pela ciência.

Porém, um recente estudo realizado por universidades da Austrália, Estados Unidos e Luxemburgo avaliou o impacto do consumo de chocolate na população da cidade americana de Syracusa no estado do Maine. O resultado: o chocolate pode melhorar o desempenho cognitivo das pessoas.

O chocolate contém em sua composição uma classe de substâncias chamadas de flavonoides, encontradas também em frutas vermelhas, como morango, amora, groselha, cereja entre outras.

 A ciência sabe que estes flavonoides têm como uma de suas propriedades a melhora da memória e da cognição. Cognição é a nossa capacidade de pensar, desenvolver o raciocínio, memória, planejar, entre outras coisas.

Com base nisto os pesquisadores do estudo citado acima, resolveram saber qual o impacto do chocolate na nossa cognição.

Eles então observaram nesta população que o consumo regular de chocolate, em pequenas quantidades, estava associado a uma melhor performance nos testes que mediram memória visual e espacial, organização, memória de trabalho e raciocínio abstrato.

Portanto, consumir chocolate não só é gostoso como faz bem à saúde! Mas um alerta é sempre importante, consuma com moderação!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui