Conheça as novas aplicações da inteligência artificial na medicina

Segundo especialistas, a Inteligência Artificial traz um panorama de muito mais produtividade na área médica. 

37
inteligência artificial na medicina

O uso de inteligência artificial na medicina tem possibilitado aos profissionais da saúde diagnósticos mais precisos e, consequentemente, tratamentos mais adequados aos pacientes, segundo especialistas. Assim, a Inteligência Artificial pode trazer um panorama de muito mais produtividade na área médica. No Brasil, apesar dos avanços, a inteligência artificial ainda esbarra em receio, falta de mão de obra e de percepção de como a tecnologia funciona, conforme apontou reportagem publicada no Futuro da Saúde.

Mas, afinal, o que é inteligência artificial? Trata-se de uma área da Ciência da Computação responsável pela simulação da inteligência e do comportamento humano através de máquinas, podendo até mesmo realizar atividades que o próprio homem não consegue fazer. 

A Inteligência Artificial já está presente no nosso cotidiano de diversas maneiras. Muitos contam com a ajuda da assistente Alexa da Amazon, da Siri da Apple ou do Google Assistant, nos aparelhos Android. Também usam a tecnologia as babás eletrônicas, os carros autônomos, os drones e os aplicativos de transporte, como o Waze e Google Maps. 

Além disso, nossa caixa de spam no email, os produtos recomendados no Google ou nas redes sociais – com base em algum site similar que visitamos anteriormente –, mostram que a inteligência artificial está cada vez mais presente em nosso dia a dia.

E na medicina? Qual a importância e quais as aplicações da inteligência artificial?

Importância da Inteligência Artificial na Medicina

inteligência artificial na medicina

Recentemente, as empresas de tecnologia SAP e a Intel se reuniram com alguns representantes importantes da área da saúde para discutir a importância de inserir cada vez mais a inteligência artificial na medicina. E esse tipo de debate tem se tornado cada vez mais frequente. 

A inteligência artificial na medicina não deve substituir os profissionais, mas sim complementar ainda mais a profissão. Segundo as empresas da área, a utilização da tecnologia pode deixar os diagnósticos mais precisos e eficientes.

No Brasil, apesar dessa realidade estar acontecendo lentamente, especialistas já apontam algumas evoluções no uso da Inteligência Artificial na medicina. Um exemplo é o uso de inteligência artificial para auxiliar na análise de gravidade de casos de Covid-19. Além disso, a inteligência artificial é capaz até mesmo de fazer pernas protéticas andarem sozinhas.

Outro exemplo é o auxílio nos diagnósticos, como citado anteriormente. Algumas doenças, como embolia pulmonar, podem ter sérias consequências se não forem diagnosticadas de forma precoce. Por isso, o uso de tecnologia para identificar a enfermidade rapidamente pode até mesmo salvar vidas. 

Há disponíveis no mercado plataformas com programas de machine learning (computação cognitiva), em que um “robô” monitora os resultados dos exames dos pacientes e os compara com seus respectivos prontuários. Assim, o caso de qualquer quadro se agravar, o computador identifica imediatamente. 

inteligência artificial na medicina

Aplicações de Inteligência Artificial na Medicina

A inteligência artificial na medicina ainda encontra uma certa resistência dos próprios profissionais de saúde. Muitos não levam a sério os benefícios trazidos por essas inovações. Ainda assim, a inteligência artificial vem sendo aplicada de inúmeras formas na área. Alguns exemplos que costumam ser citados pelos especialistas:

Tratamento de Doenças

Trata-se da aplicação número um da inteligência artificial na medicina, segundo profissionais da área. A capacidade dos computadores no sentido de ajudar no tratamento de doenças pode ser enorme. Um exemplo que se tornou mais conhecido foi o Watson, um algoritmo desenvolvido pela empresa americana IBM (International Business Machines), que é uma das maiores empresas na área de informática, utiliza o deep learning.

Desse modo, o deep learning aproveita dados genéticos e clínicos do paciente, bem como conteúdos da literatura científica. Com base nessas informações, fornece as melhores opções para o tratamento. A máquina não mostra exatamente qual procedimento fazer, mas sugere todos os tratamentos indicados para cada caso, nos seus respectivos contextos. Além disso, é perfeitamente possível conferir os efeitos colaterais e seus respectivos riscos.

Qual a principal vantagem? Fica mais fácil para os profissionais escolher as práticas mais seguras e indicadas ao problema. Dessa forma, médicos apontam uma melhoria muito maior na qualidade de vida dos pacientes.

Resultados de exames mais precisos

Pesquisadores dos Estados Unidos, China e Alemanha criaram um algoritmo que é composto por um grande banco de imagens. As imagens são de exames de radiologia. As tomografias ópticas são feitas para analisar as inúmeras camadas de retina, em busca de possíveis alterações que podem ocasionar a perda da visão. Assim, após um tempo considerável de treinamento, essa ferramenta conseguiu aprender a identificar algumas características das imagens.

Segundo os cientistas, essas características fizeram a diferença para um diagnóstico mais preciso. Em outras palavras, o programa conseguiu identificar diagnósticos com total precisão e inclusive superar os especialistas em retina. Além disso, a tecnologia pode facilitar o acesso ao exame e fazer com que o custo seja reduzido. Dessa forma, não haveria mais a necessidade de um paciente ter que se consultar com mais de um médico para poder ter em mãos um resultado definitivo. Esses sistemas de inteligência artificial na medicina estão cada vez mais desenvolvidos e treinados para reconhecer diversos tipos de exames radiológicos.

Recuperação de Dados

A Inteligência Artificial na área da saúde também capaz de colaborar muito no sentido de armazenamento e recuperação de dados através de cloud computing, conhecido como nuvem. Os prontuários, laudos e demais informações são digitados e melhor organizados. Com isso, o acesso dos arquivos, bem como a sua proteção, pode ser facilitado.

As imagens podem ser acessadas de forma remota também. Profissionais podem emitir seus laudos em qualquer lugar, não precisando mais depender de estarem no hospital ou na clínica. Há diversos programas autônomos que também possibilitam a recuperação de dados e informações pertinentes a um paciente. Todos esses programas podem contar com o conhecimento médico, sendo possível avaliar a função de um conteúdo pesquisado e integrar o mesmo à necessidade da pessoa que fez essa busca de informações.

Associação de Sintomas

inteligência artificial na medicina

Um outro contexto muito importante que merece destaque na inteligência artificial na área da saúde é associar sintomas para chegar a um diagnóstico com precisão. Existe um programa desenvolvido pelo Google que poderia ser muito eficaz nesse processo. É uma ferramenta chamada de TensorFlow, uma plataforma de código aberta para machine learning. Ela auxilia desenvolvedores a criarem aplicações com o uso de machine learning.

Um dos recursos disponíveis é uma ferramenta que permite identificar a retinopatia diabética, uma doença que afeta os olhos das pessoas.

Observando as fotos das retinas dos respectivos pacientes, ela utiliza a comparação com o banco de dados, fazendo associações e buscando semelhanças, com o objetivo de encontrar algum problema. Ela também usa o histórico do paciente para o contexto da enfermidade. Esse programa teve uma taxa muito bem sucedida de precisão, quase que comparada com os próprios médicos e especialistas da área.

Alerta sobre o quadro do paciente

A inteligência artificial na área da saúde está sendo direcionada cada vez mais para que, em tempo real, possa avisar um determinado profissional sobre uma piora ou melhora no quadro de saúde do paciente. Há programas que já fazem isso: enviam alertas ao médico, principalmente numa situação emergencial. Quando o quadro do paciente estiver estável, ainda assim o programa continua trabalhando com outras funções. Ele pode prescrever remédios, enviar avisos, lembretes e inclusive analisar os resultados de exames. Isso tende a conectar e melhorar ainda mais o relacionamento do paciente com seu médico.

De acordo com especialistas, o uso de inteligência artificial na medicina só tem a agregar e beneficiar a área da saúde. Entretanto, é importante que os profissionais se interessem e façam uso da mesma com ética, atenção e humanização. Dessa forma, a tendência é que todo e qualquer tratamento gere um panorama muito mais seguro e eficiente.

Futuro da Saúde

Por fim, gostou deste artigo sobre inteligência artificial na medicina? Então, aqui no site do Futuro da Saúde, você encontra mais conteúdos gratuitos sobre saúde e tecnologia. Nos acompanhe também no Instagram e Youtube e confira o Instagram da nossa diretora, a jornalista Natalia Cuminale. Abaixo, fique com um episódio do podcast do Futuro da Saúde sobre inovação na área:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui