Home office: forma de trabalho mudou para sempre?

Pandemia gerou mudanças de hábito para pessoas e empresas

175

A pandemia mudou hábitos e alterou a rotina de muita gente. Uma das grandes mudanças foi a adesão de empresas ao home office. Lembro bem que o tema sempre foi visto como tabu. Os chefes teimavam em argumentar que os funcionários não deveriam trabalhar de casa porque seriam improdutivos. Aquele velho pensamento de que as pessoas só trabalham sob pressão e precisam ser vigiadas. Bom, o coronavírus chegou e não deu espaço para a permanência de culturas antigas. As empresas tiveram que se reestruturar às pressas e mudar na prática, com tudo andando.

Na última semana, os jornais noticiaram que algumas empresas vão estender o regime de home office até dezembro, dando a possibilidade que ele seja permanente. Claro, elas viram que, ao contrário do que se imaginava, o trabalho permanece intenso. Os custos com a manutenção do espaço físico diminuem. Além disso, os funcionários ganham mais tempo evitando deslocamento.

Mas será que esse é o cenário perfeito? Não sei. Ir ao escritório é importante para socialização. Parece inútil, mas as pausas para o café, as trocas com os colegas, a mudança do ambiente… tudo isso interfere no desempenho e na entrega de um bom trabalho. Outro dia, em um webinar, citaram uma pesquisa que 43% das pessoas querem ter a opção de voltar ao escritório para viver aquela experiência e não estar, necessariamente, para sempre no regime de home office.

Eu já fazia home office desde setembro, quando decidi criar o meu próprio negócio. Consigo ser produtiva em casa, apesar de trabalhar muito mais do que trabalhava quando tive um horário pré-estabelecido. Confesso que, em tempos de pandemia, sinto falta das trocas, dos cafés, dos colegas, dos eventos presenciais. Tudo isso vai voltar, só não sabemos quando. E vocês? Se adaptaram bem ao trabalhar de casa? Se pudessem escolher, como seria daqui para frente?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui