Episódio #18 – Júlio Possati: “Teste de HPV é essencial para prevenir câncer do colo do útero”

O tumor é o terceiro tipo de câncer mais comum entre as mulheres no Brasil e é causado pelo HPV. Rastreamento é fundamental para impedir o aparecimento do câncer do colo uterino

               
1051

[Conteúdo oferecido por BD]

O mês de Outubro é recheado de ações voltadas para a prevenção e conscientização da saúde da mulher, com foco principalmente no câncer de mama. Mas, no contexto de saúde feminina, pouco se fala do câncer do colo do útero e da importância da realização de exames periódicos para a prevenção deste tipo de tumor. O câncer do colo do útero é o terceiro tipo de câncer mais comum entre as mulheres no Brasil e é causado pelo HPV.  De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, o INCA, foram estimados mais de 16 mil casos de câncer do colo do útero em 2020.

No novo episódio do podcast Futuro da Saúde, que teve o patrocínio da empresa de tecnologia médica BD, o ginecologista Júlio César Possati Resende, coordenador do Programa de Prevenção de Câncer Ginecológico do Hospital de Câncer de Barretos, explicou o que causa o câncer do colo do útero, esclareceu a diferença entre os tipos de HPV e apontou as formas de detecção e prevenção desse tumor. O exame preventivo, popularmente chamado de Papanicolaou, é a principal estratégia para detectar lesões iniciais e fazer o diagnóstico precoce da doença.

O médico contou que atualmente estão disponíveis testes moleculares específicos para identificação de infeção por HPV de alto risco. Caso seja detectado, a paciente é conduzida e seguida de perto pelo médico, com visitas mais periódicas ou com a indicação de exames complementares. “Segundo as melhores práticas e evidências sobre rastreamento, o teste molecular tem ganhado espaço dentro do cenário médico e de pesquisa. E tem sido a primeira escolha para muitos países para rastreamento de lesões cervicais”.

Na conversa, o médico chamou a atenção ainda para a importância da retomada desse acompanhamento periódico, que deixou de ser feito por causa da pandemia. “As atividades de saúde foram impactadas pela Covid-19 e tivemos uma queda substancial de testes de prevenção, sobretudo o Papanicolaou”, disse. Levantamentos recentes apontam que cerca de 50 mil brasileiros poderão ser impactados com atrasos nos diagnósticos de câncer durante a pandemia.

Mas por que falamos tão pouco sobre esse tema? “No caso do câncer de colo uterino e, principalmente pelas lesões produzidas pelo HPV, não temos a oportunidade desse tipo de discussão porque é uma doença induzida por infecção sexualmente transmissível e as mulheres não se sentem à vontade para falar sobre isso”, disse Júlio.

Para acompanhar a entrevista completa, ouça a íntegra do episódio do podcast Futuro da Saúde. O programa pode ser ouvido em diversas plataformas, como SpotifyDeezer e Google Podcasts. Quem tiver mais dúvidas sobre o tema,  pode acessar também o site go.bd.com/saudedamulher, que traz mais informações sobre os testes.

Por fim, confira aqui outros episódios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui