Covid-19: o que se sabe sobre as novas variantes delta e delta plus

A linhagem Delta do SARS-CoV-2 tem levantado a preocupação dos especialistas. O receio é que implique em uma redução da eficácia das vacinas ou provoque uma nova onda da pandemia

91

A variante delta ou B.1.617.2 é uma versão do vírus SARS-CoV-2 identificada pela primeira vez na Índia em outubro de 2020. Já a delta plus é uma sub-linhagem da mesma que foi detectada recentemente. Desde então, a nova cepa tem levantado preocupações devido à velocidade em que é transmitida e também por ameaçar a eficácia das vacinas. A versão delta foi detectada em mais de 90 países e a delta plus em 11. Nesta semana, o Ministério da Saúde confirmou a morte de uma grávida do estado do Paraná, que veio a óbito após contrair o coronavírus delta.

Veja abaixo o que se sabe sobre ambas.

Delta

Em relatório, a Public Health England aponta as primeiras observações sobre a variante. Apesar de ainda ser necessário realizar mais estudos, os cientistas estão confiantes com as análises que indicam a variante delta como 50% mais transmissível do que a variante alpha (também conhecida como B.1.1.7. ou variante britânica).

Outro ponto é o quanto a versão delta afeta a eficácia das vacinas. Em análise laboratorial e epidemiológica, foi observado uma queda de 15 a 20% da eficácia após a primeira dose. Um estudo ,ainda não revisado por pares, indica que a cepa também implica em uma pequena redução de eficácia após a segunda dose. Porém, os números apontam que a vacina da Pfizer-BioNTech ainda apresenta 96% de eficiência para evitar hospitalizações após a segunda dose e o imunizante da Oxford-AstraZeneca possui 92% de eficácia contra internações depois da aplicação completa do esquema vacinal.

Entre as evidências menos robustas, observadas no Reino Unido (onde atualmente concentra a maior parte dos casos), está a sugestão de que a versão delta também cause quadros mais severos de Covid-19 do que a versão alpha. Outra hipótese é de que a imunidade natural também seria reduzida nesta cepa, mas por enquanto os dados epidemiológicos são insuficientes para confirmar essa questão.

Em relação aos sintomas, o aplicativo de monitoramento do Reino Unido indica que a infecção com a variante delta em jovens pode apresentar maior similaridade com uma gripe forte. Muitos casos apresentaram febre, mas não houve perda do olfato ou do paladar.

Delta Plus

No dia 23 de junho deste ano, a Índia anunciou ter detectado quarenta casos de Covid-19 com a variante delta, mas que alguns apresentavam uma nova mutação e que poderia ser mais transmissível, sendo então nomeada de delta plus. Desde então, foram identificados 197 casos da mesma variante em outros dez países, entre eles Portugal, Estados Unidos, Suíça, Polônia e Japão.

Um dos principais fatores de preocupação está no fato da mutação carregar a proteína K417N, vista anteriormente na variante beta (também chamada de B.1.351 ou variante sul-africana) e que como consequência reduziu a resposta das vacinas. Mesmo assim, os estudos para investigar a ação desta alteração ainda estão em andamento, por isso ainda é cedo para conclusões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui