Consulta online: como startups de saúde estão apostando nesse serviço

Prática cresceu rapidamente no Brasil por causa da pandemia, já que a necessidade de distanciamento social fez com que o governo permitisse temporariamente a atividade.

88
consulta online

A consulta online é uma modalidade de atendimento que pode ser muito vantajosa tanto para o médico quanto para o paciente. A prática cresceu rapidamente no Brasil por causa da pandemia, já que a necessidade de distanciamento social fez com que o governo permitisse temporariamente a atividade. Com isso, muitas empresas e startups de saúde estão apostando em consultas a distância como oportunidade de crescimento.

Também chamada de teleconsulta, a consulta online é uma consulta médica remota, realizada através de tecnologias online de comunicação, tais como videoconferências ou videochamadas, entre o profissional da saúde e o paciente. Pode ser realizada através do computador, tablet ou até mesmo de smartphone. A consulta online engloba desde o teleatendimento inicial, que pode ser um acompanhamento inicial primário, até o atendimento de supervisão do paciente. 

O acompanhamento ou supervisão pode incluir diversas áreas médicas, como cardiologia, dermatologia, neurologia, pneumologia, psiquiatria, entre outras. Para que a consulta online possa ser feita da forma correta, ela precisa de alta tecnologia. Isso garante a transferência com segurança dos dados informados, além do armazenamento das informações dos pacientes.

A consulta online se difere da telemedicina à medida que essa última envolve a parte prática da medicina, também realizada a distância. Ela tem o objetivo de colaborar na parte de educação e pesquisa, bem como de prevenção de doenças também. A telemedicina avançou muito com os recursos de Inteligência Artificial, que aliados ao histórico do paciente, geram diagnósticos mais apurados.

Como startups de saúde apostam na consulta online

consulta online

De acordo com o estudo Distrito HealthTech Report, o Brasil possui 542 startups de saúde. Dentro desse número, 53 delas estão na área de Telemedicina. 

Segundo especialistas, o setor é promissor e tende a um crescimento cada vez maior. A consulta online tende a colaborar com a eficiência do atendimento, agilidade nos tratamentos e satisfação dos pacientes. Por isso, muitas healthtechs estão apostando nisso.

Um exemplo é a startup Brasil Telemedicina, que conta com diversos serviços de telemedicina. Entre eles, oferece teleconsulta através da plataforma Médico24h. Os pacientes podem se consultar com um médico por chat em qualquer horário ou por vídeo mediante agendamento. 

Parecido com esse serviço é o oferecido pela startup Tel Doctor. Através de um aplicativo, os pacientes podem solicitar assistência médica a distância. O usuário preenche uma ficha clínica e envia para o médico avaliar seu caso. Após essa análise de dados clínicos, os médicos enviam uma resposta para o paciente, que pode ser composta de orientações, encaminhamentos, pedidos de exames ou prescrições médicas digitais.

Tecnologia aliada à telemedicina

Já o DrApp é uma plataforma digital de agendamento de consultas com médicos especialistas e exames laboratoriais e de imagem criada por uma startup em 2018. Inicialmente, os agendamentos eram apenas para consultas presenciais. Durante a pandemia, a empresa mudou todo seu enfoque e resolveu inovar na plataforma, implementando a consulta online. Em pouco tempo, o aplicativo já conta com 3,4 mil médicos em pelo menos 55 especialidades do Estado de São Paulo.

O objetivo deles é unir duas vantagens em um: consultas particulares e valores mais baixos. Para isso, conversam com os profissionais e especialistas, com o objetivo de criarem valores mais atraentes. Dessa forma, o público cresce, e com uma demanda maior fica mais viável trabalhar com um preço menor. 

Outro exemplo é a ViBe Saúde, uma startup fundada em 2018 que também oferece consultas online por preços acessíveis. No aplicativo, o paciente escolhe o seu sintoma na tela inicial e passa por uma triagem com uma enfermeira digital. Assim, ela analisa o paciente através de Inteligência artificial e o transfere para um médico real, que conversa com ele. Ainda é possível agendar teleconsultas. 

Alta demanda

A demanda para as consultas online só cresce. No mundo todo, o mercado de telemedicina movimentou US$ 45,5 bilhões em 2020, ​​segundo pesquisa da Emarketer. A estimativa é que esse número aumentará para US$ 175 bilhões até 2026.

Já no Brasil, mais de 7,5 milhões de teleatendimentos foram realizados entre 2020 e 2021, de acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Telemedicina e Saúde Digital (Saúde Digital Brasil). Deles, 87% foram de primeiras consultas.

Nas consultas avulsas de pronto atendimento, o índice de resolutividade foi de 91%. Em outras palavras, os pacientes tiveram seu problema resolvido e não precisaram recorrer ao pronto-socorro em segunda instância. Além disso, alguns (1%) desses atendimentos foram essenciais para o salvamento de vidas. 

Os hospitais também viram essa demanda aumentar. No segundo semestre de 2020, 40% das instituições representadas pela Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp) realizaram por telemedicina entre 25% e 50% de todas as consultas. O restante realizou entre 0 e 25% de consultas online.

Até mesmo operadoras de planos de saúde também estão sendo mais procuradas para esse fim. A Amil declarou que está tendo seis vezes mais procura de atendimento a distância. A Sul America, por sua vez, 15 vezes mais. Já a Prevent Senior informou recentemente que teve quase 60 mil teleconsultas realizadas apenas em um período inferior a 60 dias.

consulta online

Como disponibilizar consulta online em clínicas e consultórios

Para disponibilizar a consulta online em clínicas e consultórios, existem alguns requisitos que devem ser seguidos:

  • Buscar uma plataforma de telemedicina: é importante ir atrás de um serviço de acordo com a demanda e às necessidades, que integre as informações de forma segura, bem como histórico de exames, consultas e demais dados do paciente. É necessário ter em mente quais atendimentos o centro de saúde irá prestar. Alguns sistemas possibilitam que a clínica integre diversos serviços, como o agendamento online, a consulta online, e além de tudo ter um gerenciamento online de todos esses serviços.
  • Treinamento de equipe: após definir sua plataforma, é importante capacitar todos os profissionais que irão trabalhar com o especialista. Eles precisam saber usar a consulta online, assim como os demais serviços da plataforma. Existem empresas especializadas em treinamento e capacitação de profissionais da saúde, que oferecem suporte inclusive durante essa mudança.
  • Site apresentável: é preciso digitalizar todos os processos, e depois disso, é necessário que o site escolhido seja apropriado com a tecnologia de serviços que você oferece. Por isso, o site deve ser claro, objetivo, informativo e bastante completo. Quanto mais recursos e mais fácil para os pacientes encontrá-los, melhor.

Por fim, se você está pensando em inovar na área, ouça abaixo o episódio #8 do podcast do Futuro da Saúde com a médica intensivista e referência em inovação Mariana Perroni.

Legislação

consulta online

Desde 2002, o acompanhamento a distância para pacientes que já haviam sido diagnosticados em uma consulta presencial é autorizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Em março de 2020, com a Covid-19 e a necessidade de distanciamento, o CFM liberou a telemedicina em caráter excepcional. Dessa forma, as consultas online passaram a ser permitidas durante a pandemia. Logo depois, o Governo Federal também passou a autorizar a prática enquanto a crise causada pelo coronavírus persistir. Agora, há grande expectativa sobre a liberação de consultas online se tornar permanente.

Futuro da Saúde

Futuro da Saúde é um hub de conteúdo digital criado pela jornalista especializada Natalia Cuminale. Além deste site, onde você encontra mais conteúdos como este sobre saúde mental em tempos de pandemia. E você também pode nos seguir nas redes sociais: Instagram e Youtube.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui