De olho na inovação, Bayer se torna mantenedora da vertente de saúde do Cubo Itaú

De olho na inovação, Bayer se torna mantenedora da vertente de saúde do Cubo Itaú

No fim de fevereiro, o Cubo Itaú, hub de inovação […]

By Published On: 15/03/2023
Bayer no Cubo Itaú

No fim de fevereiro, o Cubo Itaú, hub de inovação para startups, ganhou uma nova mantenedora da área da saúde: a Bayer, que começa a investir e apoiar empreendedores que estejam buscando novas soluções para o setor através de healthtechs. A farmacêutica espera desenvolver até o fim de 2023 um case de sucesso em parceria com uma startup do Cubo, acelerando o seu desenvolvimento, principalmente nas áreas de consumer health (isentos de prescrição), com foco em autocuidado e acompanhamento de jornada do indivíduo, em especial na prevenção de doenças.

Já na área de medicamentos, as principais frentes de atenção são adesão, manutenção e alternativas a tratamentos, informação e diagnóstico aos pacientes, soluções que facilitem a atuação do médico, relacionamento e suporte. Tudo dentro dos mercados que a Bayer atua, como cardiologia, saúde feminina, oncologia e especialidades, que incluem oftalmologia, pneumologia e hemofilia.

“Essas conexões com empresas que possivelmente tenham soluções ou que tenham um objetivo e um propósito parecido com o nosso vão possibilitar que a gente de fato avance nessas agendas”, afirma Renata Elbaum, head de crescimento e estratégia da divisão Consumer Health da Bayer.

Com essa ação, a Bayer passa a unir forças com a Dasa, que também é uma das mantenedoras da vertical de saúde do hub, chamada de Cubo Health. Cerca de 25 healthtechs estão atualmente no núcleo, inaugurado em 2018, e que desenvolvem tecnologias e conceitos que podem mudar o cenário do setor no país.

“O negócio da Dasa se conecta com o nosso negócio de radiologia, consumo e farma, e temos trabalhado com eles em outras frentes. Estar junto com eles no Cubo, dividindo o andar de health, tende a potencializar. É um compromisso sendo mantenedores ter teses de inovação em conjunto para desenvolver até o final do ano. Com certeza vai alavancar muito mais essa parceria”, aponta Mirella Vieira, líder da área de inovação da Bayer.

Em 2022, as startups do Cubo Itaú de todos os segmentos tiveram um faturamento de 9,7 bilhões de reais, um aumento de 72% em relação ao ano anterior, de acordo com levantamento do próprio hub. A expectativa para 2023 é que cada startup tenha um aumento de 113% individualmente no seu faturamento.

Inovação como cultura no Cubo Itaú

A entrada da Bayer no Cubo Itaú é um marco na mudança de cultura que a empresa vem passando nos últimos 3 anos. Além de trabalhar com a inovação de medicamentos, com pesquisa e desenvolvimento em diversas áreas, a farmacêutica tem incentivado uma renovação interna, entre colaboradores e parcerias, em prol da inovação e da tecnologia.

Segundo as porta-vozes, esse movimento começou com a criação do LifeHub São Paulo, o único hub de inovação aberta da Bayer na América Latina. Inaugurado no fim de 2020 na sede da empresa, com um escritório de 1,5 mil metros quadrados dedicado, essa plataforma tem a proposta de estimular a inovação não apenas na saúde, mas em outras áreas de atuação da empresa, como a divisão de agronegócio, onde também acelera startups que tenham soluções que contribuam com o trabalho da Bayer.

“Inovação e saúde andam muito juntas sempre, isso olhando para pesquisa e desenvolvimento. Mas quando trazemos para a questão de informação, serviços, diagnósticos e suporte ao paciente, está se tornando mais latente para a indústria e o setor da saúde. O que eu consigo fazer para o paciente, e até para os médicos, além do medicamento e dos meus produtos?”, explica Mirella Vieira.

A líder de inovação da Bayer também conta que a empresa estimula não só as parcerias com startups, mas que os colaboradores da empresa também proponham ideias que solucionem problemas da farmacêutica, para que sejam desenvolvidas e aprimoradas pela equipe de inovação.

“Fomentamos muito a inovação aberta. Temos uma estratégia muito robusta de intraempreendedorismo, porque também não é só da porta para fora, mas é de dentro para dentro. Temos uma plataforma para que qualquer colaborador de qualquer divisão da Bayer possa contribuir com uma ideia, oportunidade ou desafio, criar um time para construir um piloto e validar sua hipótese”, compartilha Mirella.

Cases já estão em vigor e outros estão saindo do forno

A ideia de contar com parcerias de startups já vem sendo trabalhada no LifeHub São Paulo junto a outros parceiros. A iniciativa junto ao Cubo Itaú vem para maximizar esse potencial, trazendo mais conceitos e soluções em um dos principais polos de empreendedorismo com tecnologia no país.

Em parceria com a Câmara Brasil-Alemanha, a Bayer já desenvolveu chamamentos que resultaram em parcerias e inovações. Uma delas foi feita pela Mindify, healthtech especializada em automação operacional e linhas de cuidado para assistência médica e pesquisas clínicas.

“Estávamos atrás de como conseguir identificar junto ao urologista, dentro da jornada do paciente de próstata, o momento que ele deveria encaminhar para um oncologista ou sinalizar que deveria pedir mais exames porque tem alguma coisa diferente. Aceleramos a startup de protocolos inteligentes, que criou todo um protocolo de câncer de próstata automatizado em que o médico vai conversando com o paciente e imputando as informações, sendo direcionado para outras perguntas até chegar a uma indicação”, explica Mirella.

Essa parceria já possui 2 anos de trabalho e foi replicada para outras áreas além do diagnóstico de câncer de próstata, como algumas condições relacionadas à saúde feminina e cardiologia. Ela vem sendo utilizada por clínicas em todo o país e visam não apenas facilitar a vida do médico, mas utilizar a tecnologia em favor do paciente.

Outro programa desenvolvido com a Câmara Brasil-Alemanha resultou na contratação de uma startup, que ainda não foi divulgada, para a elaboração de uma solução mais voltada para o dia a dia do indivíduo. “Ela vai ser lançada no próximo mês e tem o objetivo de auxiliar as pessoas na sua rotina de hidratação, identificando qual é a recomendação e fazendo uma sugestão personalizada de rotina”, conta Renata Elbaum, head de crescimento e estratégia da divisão Consumer Health.

Também está em desenvolvimento uma solução para facilitar a leitura de bulas de medicamentos. A escolha da startup foi feita em parceria com a Liga Ventures, que junto a Bayer vem desenvolvendo a prova de conceito. Em breve, essas e outras aplicações poderão contribuir com a rotina do paciente e aproximar a farmacêutica do consumidor.

Cliente como aliado e outras parcerias

Parte das soluções elaboradas pelas startups surgiram de problemas que a Bayer identificou junto aos clientes. Essa relação é importante não só para o desenvolvimento de novos produtos, mas para a farmacêutica contribuir com o cuidado e o tratamento além dos medicamentos.

“É um movimento recente essa aproximação, porque a partir do momento que a gente começou a colocar o paciente no centro das nossas discussões e da criação de campanhas, ouvindo-o, começamos a perceber que há muitos pontos da jornada do indivíduo que a gente poderia atuar”, explica Renata Elbaum.

A Bayer quer atuar até mesmo na prevenção de doenças, para aqueles que não necessariamente fazem uso dos tratamentos. Ainda, pode contribuir como suporte ao paciente, no acompanhamento nutricional, psicológico e no incentivo à atividade física, com uma visão de saúde mais integrada.

Além de ouvir os clientes e atuar com hubs de inovação, a empresa tem trabalhado com universidades, aceleradoras e empresas do setor da saúde como um todo, como hospitais, operadoras de planos de saúde e redes de farmácias. Esse não é um processo exclusivo da Bayer, mas ela se mostra disposta a construir tais vínculos.

“Precisamos nos conectar, a indústria sempre foi muito independente nas suas ações, e outras verticais que conectam têm bons resultados em parcerias de cocriação, experimentação e ter solução em conjunto. A gente quer buscar esse ar também de entender como que o ecossistema consegue colaborar para termos essas soluções aos nossos pacientes”, conclui Mirella Vieira.

Rafael Machado

Jornalista com foco em saúde. Formado pela FIAMFAAM, tem certificação em Storyteling e Práticas em Mídias Sociais. Antes do Futuro da Saúde, trabalhou no Portal Drauzio Varella. Email: rafael@futurodasaude.com.br

About the Author: Rafael Machado

Jornalista com foco em saúde. Formado pela FIAMFAAM, tem certificação em Storyteling e Práticas em Mídias Sociais. Antes do Futuro da Saúde, trabalhou no Portal Drauzio Varella. Email: rafael@futurodasaude.com.br

Leave A Comment

Recebar nossa Newsletter

NATALIA CUMINALE

Sou apaixonada por saúde e por todo o universo que cerca esse tema -- as histórias de pacientes, as descobertas científicas, os desafios para que o acesso à saúde seja possível e sustentável. Ao longo da minha carreira, me especializei em transformar a informação científica em algo acessível para todos. Busco tendências todos os dias -- em cursos internacionais, conversas com especialistas e na vida cotidiana. No Futuro da Saúde, trazemos essas análises e informações aqui no site, na newsletter, com uma curadoria semanal, no podcast, nas nossas redes sociais e com conteúdos no YouTube.

Artigos Relacionados

Rafael Machado

Jornalista com foco em saúde. Formado pela FIAMFAAM, tem certificação em Storyteling e Práticas em Mídias Sociais. Antes do Futuro da Saúde, trabalhou no Portal Drauzio Varella. Email: rafael@futurodasaude.com.br