Atividade física e saúde mental: entenda os benefícios de uma vida mais ativa

Se exercitar com regularidade beneficia não somente o corpo, mas também a mente. E os benefícios não são poucos.

135
atividade física e saúde mental

Ao longo dos anos, diversos estudos já mostraram que há uma relação entre atividade física e saúde mental. Se exercitar com regularidade beneficia não somente o corpo, mas também a mente. E os benefícios não são poucos.

A saúde mental é um conceito relativo não apenas à não existência de transtornos ou doenças mentais, mas também ao bem-estar e à capacidade de lidar com emoções e sentimentos. Assim, a saúde mental pode ser considerada essencial para uma boa qualidade de vida.

Benefícios da atividade física para a saúde mental

Existem inúmeros benefícios da atividade física para a saúde mental. Confira a seguir os principais.

Diminui o estresse

atividade física e saúde mental

Segundo especialistas, a prática de exercícios físicos diminui o estresse na medida em que promove no organismo aumento no fluxo sanguíneo, redução de processos inflamatórios e crescimento neuronal. Para completar, a atividade física é capaz de liberar endorfinas. Entre as funções desses hormônios, está a de promover sensação de bem-estar.

Além disso, todo um conjunto de reações faz a pessoa relaxar por mais tempo, gerando equilíbrio psicológico e emocional. Até o humor tende a melhorar. Logo, se surgir qualquer situação mais estressante do cotidiano, a pessoa tende a estar mais tranquila e equilibrada para resolver.

Memória mais ativa

Quando a capacidade aeróbica de alguém aumenta em função da atividade física, as funções cognitivas aumentam também. Isso colabora para o sistema cardiovascular e a circulação no cérebro, o que deixa a pessoa com mais reflexo e uma memória mais afiada. 

Estudos mostram que idosos que praticam uma simples atividade física pelo menos três vezes por semana melhoram muito a agilidade e a coordenação motora, bem como a atenção e a memória.

Muitas doenças degenerativas, como o Alzheimer, têm seu efeito retardado por atividades físicas. Um estudo apresentado em 2019 pela American Psychological Association encontrou menos marcas associadas à doença em cérebros de pessoas idosas que faziam exercícios físicos. A proteína beta-amilóide, que fica na membrana gordurosa que envolve as células nervosas, costuma formar placas ao redor dos neurônios de pacientes com Alzheimer. Assim, a pesquisa sugeriu que a atividade física ter um impacto na formação dessas placas.

Melhora na autoestima

Os exercícios regulares colaboram para diversos objetivos diferentes, como a redução de peso e tonificação dos músculos. E isso costuma melhorar a autoestima e a saúde emocional dos praticantes. A conquista de uma maior autoconfiança ajuda a melhorar os relacionamentos, pois a pessoa se sente mais confortável em se aproximar dos outros.

Envolvimento social

Os exercícios físicos e esportes em grupo aproximam as pessoas que os praticam. Isso é especialmente importante na terceira idade. Grupos de corrida, turmas da academia, interesses em comum como uma caminhada na quadra ou um jogo de vôlei ou futebol acabam incentivando a interatividade social de forma natural. Assim, atividade física e saúde mental também andam juntas devido ao envolvimento social.

atividade física e saúde mental

Desenvolvimento de habilidades emocionais

Atividade física e saúde mental ainda estão relacionados ao desenvolvimento de habilidades emocionais. Nos esportes, há pequenos testes e desafios que fazem seus praticantes se superarem para avançarem cada vez mais, superando os próprios limites. As pessoas conseguem estabelecer uma rotina, com dedicação e disciplina, de acordo com suas metas. 

Também aprendem a lidar com frustrações quando não conseguem atingir um objetivo. Saber trabalhar e lidar com as vitórias e superações, da mesma forma que as derrotas e fracassos, é algo muito importante e faz parte da vida.

Melhora o sono

A atividade física também libera os hormônios do sono, que ajudam a fazer com que a pessoa durma bem. Com o exercício físico, é possível relaxar mais para dormir melhor. Ao mesmo tempo, uma boa noite de sono também traz vantagens para o cotidiano, já que dá mais disposição para encarar o dia e tendência de bom humor. Assim, os benefícios da prática de atividades físicas vão se complementando e dando qualidade de vida.

Se você tem problemas de sono, confira abaixo o episódio #6 do podcast do Futuro da Saúde. A jornalista Natalia Cuminale entrevista a neurologista Andrea Bacelar, da Associação Brasileira do Sono, que fala sobre como dormir melhor nos dias atuais.

Atividade física e saúde mental: dicas para começar a praticar exercícios

A relação entre atividade física e saúde mental pode ser usada como estímulo para começar a praticar exercícios. Separamos aqui algumas dicas para esse início.

Consulte um médico

Antes de iniciar qualquer exercício de grande impacto, é importante consultar um médico. Fazendo um check up para verificar suas condições de saúde, pressão, batimentos cardíacos e índice de gordura, o médico já pode indicar os exercícios ideais para o seu perfil, de acordo com a sua saúde.

Comece devagar

Se você está começando, tente iniciar com exercícios e atividades leves. É preciso respeitar o seu corpo e o seu metabolismo sempre, em especial se estiver sedentário. Por isso, comece aos poucos e vá gradativamente aumentando o ritmo e a intensidade dos exercícios. E lembre-se de sempre respeitar seus limites.

Arranje companhia

atividade física e saúde mental

Se você tiver algum amigo ou parceiro de exercícios, melhor ainda: independente de ele estar mais ou menos avançado dos treinos do que você, você pode chamá-lo para que se incentivem juntos, ainda que cada um em sua residência. É uma excelente forma de se motivarem mutuamente.

Crie metas

É importante criar metas para você mesmo. Mas procure ser sensato nos seus objetivos. Assim, você cria um foco de treino dentro da sua perspectiva e realidade, diminuindo as chances de desanimar. O objetivo é ir devagar e sempre nos exercícios, com constância. Não adianta dar o passo maior que a perna.

Exercícios durante as tarefas cotidianas

Aproveite para se exercitar durante suas tarefas de casa também, se for possível. Para facilitar, você pode colocar uma música de sua preferência, para criar ainda mais ânimo para trabalhar, limpar a casa, organizar suas coisas e ao mesmo tempo exercitar seu corpo.

Regularidade

Pratique seus exercícios com regularidade, pois só assim você terá resultados satisfatórios. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o ideal é se exercitar 30 minutos por dia, pelo menos cinco vezes por semana. Tente manter uma rotina, que é a parte mais difícil. Faça um planejamento semanal, alternando exercícios aeróbicos com os de musculação ou outros que exijam força.

Respeite seu corpo

Como já dissemos anteriormente, respeite os limites do seu corpo. É natural ter um desconforto muscular no início dos treinos, principalmente se você está sedentário há muito tempo. Mas esse desconforto passa. Se as dores estiverem fortes ou não passarem logo, você deve procurar um médico.

Proximidade

Procure locais perto da sua casa para se exercitar. Seja uma academia ou um parque, é melhor não ter que depender de um deslocamento muito grande. Assim, as chances de você desistir são menores. Sem contar que isso facilita a ida ao local para se exercitar.

Alongamento

atividade física e saúde mental

Não se esqueça de se alongar antes de qualquer treino. É importante para preparar seus músculos para as exigências que eles vão ter no treino. Sem contar que isso protege e melhora seu corpo e musculatura. Segundo especialistas, o ideal é separar alguns minutos antes e depois do treino para se alongar.

Hidrate-se

Por fim, beba bastante água e procure sempre estar hidratado, pois quando você sua, você perde líquido. Então, é sempre bom renovar essa fonte de energia.

Siga o Futuro da Saúde nas redes sociais

Por fim, gostou deste artigo sobre atividade física e saúde mental? Então acompanhe o Futuro da Saúde no Instagram e Youtube e confira o Instagram da nossa diretora, a jornalista Natalia Cuminale.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui