A pandemia sob o olhar otimista de uma centenária recém-vacinada

Aos 100 anos, Virginia Cereghini foi vacinada em São Paulo na última terça-feira. Ela compartilhou um pouco de sua visão sobre a vida e como encarou os dias de isolamento na pandemia.

               
441

Na última terça-feira (9), a dona de casa Virginia Cereghini Giani se juntou aos mais de 206 mil idosos que se vacinaram contra o novo coronavírus em São Paulo. Na expectativa para o grande momento, foi levada logo de manhã pelos familiares ao drive do SUS, como é chamado o esquema vacinação montado para a imunização dentro do carro, no Ipiranga, zona Sul de São Paulo. “Imaginei que seria muito mais difícil. Foi rápido, tomei uma injeção e está tudo legal. A moça deu risada porque achou que eu ainda sou muito mocinha para tomar injeção”, contou, bem-humorada.

Em dezembro de 2020, Virginia completou 100 anos de idade. Por ser parte do grupo de risco, a comemoração teve de ser uma festa virtual. Aliás, dona Virginia foi na contramão da tendência comum aos idosos na pandemia: ela passou longe dos eletrônicos e não tem nem celular, segundo contou a filha. Ela prefere passar o tempo com as palavras cruzadas e o tricô – em especial, adora costurar sapatinhos de bebê.

Foi graças ao celular, porém, que Virginia pôde ver suas duas filhas, cinco netos e quatro bisnetos em seu 100º aniversário. E, mesmo não gostando muito dessas tecnologias, ela preferiu comemorar assim. “Eu não queria que todo mundo viesse porque não adiantava. Posso comemorar 20 anos, 100 anos… é tudo a mesma coisa”.

Segundo dados coletados na Universidade Federal do Paraná, as pessoas com 80 anos ou mais equivalem a 14,8% dos infectados que morreram. Já os idosos de 70 a 79 anos, correspondem a 8,0% e aqueles de 60 a 69 anos, a 8,8%. Um dos motivos para esse risco elevado, de acordo com os cientistas, se deve às alterações sofridas pelo sistema imunológico à medida que a pessoa envelhece.

Virgínia faz questão de lembrar que o seu sistema imunológico é forte. Nem ela ou os filhos se lembram com certeza da última vez em que esteve doente. Ainda assim, durante a pandemia, todos os cuidados foram reforçados. Suas três cuidadoras tiveram de aderir ao álcool em gel, máscaras dentro de casa e distanciamento – quando possível – para garantir a segurança da centenária. Além dos cuidados, Virginia não visitou mais seus parentes, atividade comum antes da quarentena. Nas vezes que suas filhas foram visitá-la, estavam sempre usando máscaras. “É difícil, porque a gente sente saudade, desde quando eram meninos eles estavam sempre aqui em casa. Mas se eles estão bem de saúde, está tudo em paz”, diz.

Uma grande preocupação em relação aos idosos, além do risco maior de complicações por Covid-19, é o impacto da pandemia na saúde mental. Dados do IBGE apontam que os transtornos de ansiedade e depressão atingem 11% da população entre 60 e 64 anos. O Boletim do Idoso lançado em setembro de 2020, também afirma que o isolamento social pode levar a depressão – seja ela como sintoma ou como início da doença.

Idosos que costumavam ter uma vida social mais agitada – como passear ao ar livre, ir à igreja e fazer atividades em grupo – e tiveram de parar devido à quarentena estão mais propensos a sofrer as consequências psíquicas do isolamento. Virginia, que já não tinha o hábito de sair muito, acabou sentindo menos esse impacto.

Enquanto as pessoas contam os dias para a volta a uma normalidade, dona Virgínia afirma não ter sentido medo ou ansiedade pela pandemia. “Isso não leva em nada, porque com tanto tempo que estão trabalhando, ninguém conseguiu resolver, é porque é um pouco difícil, né?”, disse.

Bem resolvida e alegre, a centenária que nasceu em 1920, já viu o suficiente do mundo para se deixar abalar. Agora protegida pela vacina, Virginia já pode dizer que encarou mais um período histórico da humanidade. Para o futuro, ela espera continuar fazendo o que gosta e ver sua família mais vezes. Com paciência e compreensão, podemos aguardar dias melhores e quem sabe encarar as coisas com a mesma tranquilidade de Virginia.

A campanha de vacinação contra a Covid-19 segue em andamento em todo o Brasil. Na sexta-feira (12), se inicia a vacinação para as pessoas entre 89 e 85 anos de idade no estado de São Paulo.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui